Saltar navegação. Ir directamente ao conteúdo principal

Partilhar

  • Youtube
  • RSS

ES

Instituto BBVA de Pensões

Está em:

  1. Inicio
  2. Site
  3. Artigo

Suécia: um exemplo a seguir em matéria de informação sobre pensões?

É enviada informação anual aos cidadãos desde que começa a contribuir para a Segurança Social, com estimativas da sua pensão pública (com o envelope laranja) e privada (numa página web).
Suécia: um exemplo a seguir em matéria de informação sobre pensões?

13 de Novembro de 2013 | 00:00

Um dos casos mais paradigmáticos, onde os cidadãos recebem uma informação antecipada e cuidada sobre as suas reformas públicas, é a Suécia, que no ano 1999 decidiu aumentar a informação sobre pensões para todos os cidadãos a partir da idade em que começam a contribuir e de forma anual.
 
O país oferece informação sobre a pensão estatal no chamado envelope laranja, um documento impresso que consiste num breve extrato, com dados sobre o sistema estatal de pensões e sobre o valor que o destinatário poderia receber ao reformar-se.
 
Esse envelope físico complementa-se com uma página web na qual se pode obter informação sobre a reforma futura, quer das pensões públicas, quer das pensões complementares privadas, tanto do segundo como do terceiro pilar. A página web pertence a uma empresa participada em 50% pelo Governo e por uma sociedade gestora de pensões.
 

Quais são os seus efeitos?

 
Esta ampla e antecipada informação provocou, segundo os resultados de um estudo da Agência Sueca de Pensões, realizado em 2011, que recorre ao Instituto Aviva de Pensões, um maior conhecimento geral do sistema de pensões e uma maior confiança e consciência sobre a matéria.

Assim, desde que se aprovou a reforma, o conhecimento geral aumentou de 32% para 49%, na medida em que mais de nove em cada 10 entrevistados afirmaram ter aberto o envelope e 83% leram-no. No total, seis em cada 10 leram e entenderam a informação e sete em cada dez consideraram que é útil e valiosa, e, além disso, que as previsões são credíveis. Como resultado da iniciativa, a confiança no sistema estatal, por parte das pessoas que começaram a poupar há menos tempo, passou de 48%, em 2007 para 62%, no ano 2011.
 

Se gostou deste artigo, receba mais informação através da nossa newsletter

Quero subscrever a newsletter

0 Comentários

Utilize o formulário abaixo para nos dar a sua opinião. O endereço de e-mail é necessário para entrar em contacto consigo.