Saltar navegação. Ir directamente ao conteúdo principal

A MINHA PENSÃO RESPONDE

Está em:

  1. Inicio
  2. Site
  3. Artigo

Porque devo começar a pensar na minha reforma logo desde o primeiro emprego

Os especialistas recomendam que assim seja. Ainda que a poupança para o futuro não seja a sua prioridade entre os 20 e os 30 anos, esse é o momento ideal para começar a construir a poupança.

Tempo de leitura: 3 minutos

Partilhar

Imprimir
Porque devo começar a pensar na minha reforma logo desde o primeiro emprego

No momento de entrar no mercado laboral, provavelmente, a poupança para o futuro não será a maior prioridade. Entre os 20 e os 30 anos é normal gastar-se o dinheiro em atividades de diversão, roupa, viagens, aluguer ou hipoteca de casa, já que normalmente o primeiro emprego conduz à independência e saída de casa dos pais.

Apesar disso, e ainda que haja a sensação de que se tem muito tempo pela frente, é recomendável que não se ignore o investimento para o futuro. Na verdade não existe melhor momento para começar a poupar. Isto porque começar a poupar desde cedo ajuda a maximizar a poupança para a reforma e, além disso, faz com que o esforço de poupança seja menor.

Seria bom que todos os jovens fossem capazes de fazer uma análise dos seus gastos e identificar os prescindíveis e os imprescindíveis para manter uma boa qualidade de vida, de forma a poder dedicar uma parte, mesmo que mínima, a uma poupança para o futuro. Quanto mais tempo se tiver de poupança, maior será a quantia disponível para a altura da reforma. E deste modo pode-se poupar pouco a pouco, com um menor grau de sacrifício.

Ainda que, muito provavelmente, o salário seja mais baixo na altura em que se consegue o primeiro emprego – e por essa razão as contribuições para a poupança privada poderão ser mais pequenas – é certo que, à medida que se progride na carreira profissional, o salário e o poder de compra dos trabalhadores aumenta. E as contribuições irão tornar-se maiores, dando lugar a rendimentos futuros mais elevados.

As razões

Os especialistas recomendam que se comece a poupar o quanto antes, para que se possa amealhar uma quantia suficiente para fazer face ao período da reforma. Porque o fazem? Porque o tempo é um bom aliado da poupança, pois pode ajudar a reduzir os seus custos e fazer com que a quantidade de poupança necessária para obter rendimentos no futuro – e, portanto, o esforço empregue para os conseguir – seja menor. Em resumo, o tempo facilita a poupança para o futuro.

A poupança em idades mais jovens traz benefícios, não só porque o montante final acumulado será maior, mas também porque o seu investimento permitirá um maior crescimento do capital, ao se beneficiar do efeito da capitalização. Assim, para chegar ao mesmo valor, quem começar a fazer poupança mais cedo terá de colocar de parte menos capital do que quem começa a poupar mais tarde. Em última análise, o custo de fazer uma poupança será tão menor quanto mais cedo se começar a fazê-lo.

Se gostou deste artigo, receba mais informação através da nossa newsletter

Quero subscrever a newsletter

Deixe o seu comentário

Utilize o formulário abaixo para nos dar a sua opinião. O endereço de e-mail é necessário para entrar em contacto consigo.

Condições de subscrição do serviço do Boletim/Newsletter

Os dados de natureza pessoal (Nome/e-mail) solicitados, serão tratados em conformidade com a Lei de Proteção de Dados Pessoais e utilizados exclusivamente com a finalidade de subscrição do serviço do Boletim/Newsletter, através do qual o utilizador autoriza o envio de notícias e novidades de interesse sobre as matérias cobertas pelo website.

Os referidos dados pessoais serão incorporados num ficheiro da responsabilidade do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., que garantirá a sua correta utilização e a sua confidencialidade e salvaguarda, nos termos previstos na Lei n.º 67/98, de 26 de Outubro (Lei de Proteção de Dados).

Política de protecção de dados

Em cumprimento do disposto na Lei n.º 67/98, de 26 de Outubro (Lei de Protecção de Dados Pessoais), que estabelece o direito de informação dos titulares dos dados pessoais, informamos que os dados pessoais fornecidos serão incorporados num ficheiro informático, sob responsabilidade do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., que garantirá a sua confidencialidade e segurança, com a finalidade exclusiva de subscrições da newsletter “A minha pensão”, através do website http://www.aminhapensao.pt

Poderá alterar ou suprimir o seu consentimento a qualquer momento, sem efeitos retroactivos, mediante comunicação por escrito para a direcção de correio electrónico que figura no final da presente nota.

Poderá exercer o seu direito de acesso, rectificação, cancelamento ou oposição ao tratamento dos seus dados pessoais nos termos estabelecidos na lei, através de contacto escrito com o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., enquanto responsável pelo tratamento, através do endereço Av. Liberdade 222, 1250-148 Lisboa ou ainda usando o endereço de correio electrónico aminhapensao.pt@bbva.com.

Comentários

Carregando...

Ainda não há comentários

29 de Novembro de 2014 | 00:00