Saltar navegação. Ir directamente ao conteúdo principal

A MINHA PENSÃO RESPONDE

Está em:

  1. Inicio
  2. Site
  3. Artigo

Como a esperança de vida influencia a reforma

A esperança média de vida tem aumentado nas últimas décadas, o que faz com que seja um factor-chave no cálculo das pensões de reforma. Compreenda melhor este factor e os seus efeitos.

Tempo de leitura: 3 minutos

Partilhar

Imprimir
Como a esperança de vida influencia a reforma

Portugal, tal como a maioria dos países desenvolvidos, enfrenta actualmente importantes desafios no que diz respeito ao sistema de segurança social, para garantir a sua sustentabilidade. E talvez o mais importante desafio esteja relacionado com a mudança demográfica que as sociedades estão a atravessar: a inversão da pirâmide populacional.

Os países desenvolvidos estão a atravessar um processo de envelhecimento significativo das suas populações, o que interfere directamente com os sistemas públicos de pensões. O envelhecimento da população representa um maior número de beneficiários e, em contrapartida, menos indivíduos em idade activa que, com as suas contribuições, tornem o sistema viável.

O aumento da esperança de vida nestes países, à luz dos avanços sociais e económicos, tem provocado uma mudança que, por sua vez, leva a outro grande desafio: o aumento do período de vida após a reforma. Vivemos mais anos em situação de reforma, e este é um elemento-chave no momento de se considerar tanto o equilíbrio do sistema público de pensões, como um plano privado de poupança para a reforma.

Portugal ocupa cada vez mais um lugar relevante entre os países desenvolvidos em termos de esperança de vida. Actualmente a esperança de vida de uma criança que nasça em Portugal é de 76,6 anos, no caso dos homens, e de 82,5 anos no caso das mulheres. Em comparação com a expectativa de vida em 1990 (70,7 e 76,3 anos, respectivamente) percebe-se a importância deste desafio.

Como é que a esperança de vida age enquanto variável?

As alterações às pensões de reforma a que assistimos têm como objectivo final garantir a viabilidade a curto, médio e longo prazo do sistema de pensões. Para isso, e tendo em conta a análise anterior, introduziu-se na fórmula de cálculo das pensões, em 2008, uma variável chamada factor de sustentabilidade. O objectivo é que, com uma contribuição igual durante a vida laboral, se receba o mesmo durante o período da reforma. Como é previsível que a esperança de vida continue a aumentar, o que esta nova fórmula propõe é que os valores recebidos mensalmente sejam relativamente menores. Mas como aumentam os anos de reforma, o valor total a receber na reforma continuará proporcional ao investido na vida activa.

Com a alteração recente da idade de reforma para os 66 anos, em Portugal, será necessário garantir que esta mudança seja articulada com a aplicação do factor de sustentabilidade, mas uma certeza existe, a esperança de vida não deixará de ser um factor-chave no cálculo das pensões de reforma.


Se gostou deste artigo, receba mais informação através da nossa newsletter

Quero subscrever a newsletter

Deixe o seu comentário

Utilize o formulário abaixo para nos dar a sua opinião. O endereço de e-mail é necessário para entrar em contacto consigo.

Condições de subscrição do serviço do Boletim/Newsletter

Os dados de natureza pessoal (Nome/e-mail) solicitados, serão tratados em conformidade com a Lei de Proteção de Dados Pessoais e utilizados exclusivamente com a finalidade de subscrição do serviço do Boletim/Newsletter, através do qual o utilizador autoriza o envio de notícias e novidades de interesse sobre as matérias cobertas pelo website.

Os referidos dados pessoais serão incorporados num ficheiro da responsabilidade do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., que garantirá a sua correta utilização e a sua confidencialidade e salvaguarda, nos termos previstos na Lei n.º 67/98, de 26 de Outubro (Lei de Proteção de Dados).

Política de protecção de dados

Em cumprimento do disposto na Lei n.º 67/98, de 26 de Outubro (Lei de Protecção de Dados Pessoais), que estabelece o direito de informação dos titulares dos dados pessoais, informamos que os dados pessoais fornecidos serão incorporados num ficheiro informático, sob responsabilidade do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., que garantirá a sua confidencialidade e segurança, com a finalidade exclusiva de subscrições da newsletter “A minha pensão”, através do website http://www.aminhapensao.pt

Poderá alterar ou suprimir o seu consentimento a qualquer momento, sem efeitos retroactivos, mediante comunicação por escrito para a direcção de correio electrónico que figura no final da presente nota.

Poderá exercer o seu direito de acesso, rectificação, cancelamento ou oposição ao tratamento dos seus dados pessoais nos termos estabelecidos na lei, através de contacto escrito com o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., enquanto responsável pelo tratamento, através do endereço Av. Liberdade 222, 1250-148 Lisboa ou ainda usando o endereço de correio electrónico aminhapensao.pt@bbva.com.

Comentários

Carregando...

Ainda não há comentários