Saltar navegação. Ir directamente ao conteúdo principal

Partilhar

  • Youtube
  • RSS

ES

Instituto BBVA de Pensões

Está em:

  1. Inicio
  2. Site
  3. Artigo

Um segredo conhecido: a população do mundo desenvolvido está a envelhecer

O número de pessoas em idade de trabalhar que sustentam cada reformado reduzir-se-á para metade em 40 anos. Em Portugal será de 1,6, segundo dados da OCDE.
Um segredo conhecido: a população do mundo desenvolvido está a envelhecer

20 de Novembro de 2013 | 00:00

Cada vez há menos jovens em relação aos cidadãos com mais idade, o que quer dizer que as sociedades estão a envelhecer. Esta é a realidade da população mundial, mas sobretudo dos países desenvolvidos. Esta situação vai criar desafios na hora de manter os sistemas públicos no futuro, porque cada vez há menos trabalhadores no ativo por cada pessoa que já não está a descontar para a Segurança Social e cuja reforma depende das contribuições dos primeiros.

Na União Europeia, a percentagem de população que tem mais de 65 anos estava abaixo dos 16% em 2011, sendo que em 2008 alcançava os 17,5%, segundo dados do Eurostat, e isto é apenas a ponta do iceberg. Segundo um relatório da OCDE, o número de pessoas entre os 20 e os 64 anos, que terão que suportar cada pessoa maior de 65 anos, está a diminuir, estando previsto que em quatro décadas possa reduzir-se a metade.

Nos países da OCDE, o número de pessoas mais novas que suportam as mais velhas, cairá de 4,2 pessoas, por cada pessoa com mais de 65 anos, em 2008, até 2,1 pessoas, em 2050.

Inclusivamente, em alguns países a situação será pior: por exemplo, em Espanha o número de pessoas em idade de trabalhar por cada pessoa com mais de 65 anos será de 1,5, de acordo com dados da OCDE, o mesmo número que em Itália e Coreia e apenas um pouco inferior à Alemanha, Portugal ou Grécia, com 1,6 pessoas por cada uma com mais de 65 anos. É metade, ou menos de metade, que no presente. O país com uma situação mais comprometida é o Japão, onde esse número diminuirá de 2,8 para apenas 1,2 pessoas no ano 2050.

A situação é diferente nos países emergentes, como a Turquia, Índia, Indonésia ou Brasil, que terão em 2050 pelo menos três pessoas em idade de trabalhar por pessoa em idade de reforma, mas onde o envelhecimento também é evidente, tendo em conta que em 2008 alguns países contavam com cerca de uma dezena de cidadãos por cada pessoa com mais de 65 anos. Mesmo na África do Sul, que em 2050 ainda terá mais de seis cidadãos por cada maior de 65 anos, o número será metade que em 2008 (com mais de 12 pessoas entre os 20 e os 64 anos por cada uma com mais de 65).

Pessoas entre os 20 e os 64 anos por cada cidadão com mais de 65 anos

2008 2050
Áustria 3,6 1,8
França 3,5 1,9
Alemanha 3 1,6
Itália 3 1,5
Holanda 4,2 2,1
Media OCDE 4,2 2,1
Espanha 3,7 1,5
Grécia 3,4 1,6
Portugal 3,5 1,6
Suécia 3,3 2,2
Suíça 3,7 2
Reino Unido 3,7 2,4
Estados Unidos 4,7 2,6
Japão 2,8 1,2

Fuente: Society at a glance 2011: OECD Social Indicators

Os dados evidenciam um envelhecimento da população que, segundo os especialistas, provocará uma procura por soluções de investimento que permitam preservar a riqueza e gerar rendimentos estáveis para viver melhor na reforma.

Segundo os dados de ALFI, a Associação de Fundos de Investimento do Luxemburgo, será razoável pensar que as pessoas que chegam aos 65 anos tenham pela frente 25 ou 30 anos de vida. 

 
 

Se gostou deste artigo, receba mais informação através da nossa newsletter

Quero subscrever a newsletter

0 Comentários

Utilize o formulário abaixo para nos dar a sua opinião. O endereço de e-mail é necessário para entrar em contacto consigo.