Saltar navegação. Ir directamente ao conteúdo principal

A MINHA PENSÃO RESPONDE

Está em:

  1. Inicio
  2. Site
  3. Artigo

Durante quantos anos vou receber a minha pensão depois de me reformar?

Hoje em dia, em Portugal, os homens vivem, em média, cerca de 16 anos depois da idade de reforma e as mulheres cerca de 20 anos.

Tempo de leitura: 3 minutos

Partilhar

Imprimir
Durante quantos anos vou receber a minha pensão depois de me reformar?

Esperanza de vida en España suma 22 años tras la jubilación - Foto Autor: © Wavebreak Media - www.photaki.es

As sociedades envelhecem, o que significa que cada vez há menos jovens que têm de apoiar financeiramente a população mais velha. Mas, ao mesmo tempo que essas sociedades envelhecem, as pessoas também vivem mais tempo, devido ao aumento da esperança de vida. Isso significa que cada vez há menos pessoas para sustentar a população com mais de 65 anos que, para além disso, viverá durante mais tempo.

A idade oficial de reforma varia nos diferentes países, e também pode ser diferente tendo em conta o género, ainda que o normal seja que oscile entre os 60 e os 65 anos nos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económicos (OCDE). Segundo o estudo Society at a glance, realizado em 2011, a média de anos na reforma (ou seja, aqueles em que os cidadãos receberão a sua pensão, no período compreendido entre o momento em que deixam de trabalhar e a sua morte) é de 18,3 para os homens e 23,3 para as mulheres, considerando como idade de reforma para as mulheres 61,7 anos e 63,1 para os homens.

Estes números são bons indicadores das pressões fiscais nos sistemas públicos de pensões dos diferentes países, num contexto de envelhecimento da população e aumento da esperança de vida, segundo a OCDE. Portugal está abaixo da média: os homens vivem, em média 16,3 anos depois de se reformarem aos 65, e as mulheres 20,2, devido à maior esperança de vida das mulheres. Mas isso também significa, segundo a OCDE, que as mulheres, que vivem mais anos, enfrentam um risco maior de pobreza na última etapa da sua vida.

Entre os países que ultrapassam o número médio de anos na reforma estão, no caso das mulheres, a Itália – onde vivem, em média, mais 27 anos, o número mais alto – a Eslovénia, Grécia ou a França. Para os homens, a Grécia, Itália, França, Bélgica ou Coreia, onde estes vivem, em média, mais de 20 anos depois da reforma.

Estes valores são consideravelmente mais baixos em países onde a esperança de vida é menor ou onde a reforma acontece mais tarde, como a Islândia, México ou Noruega, onde é cerca de 19 anos, para as mulheres. O mesmo sucede na Eslováquia, Polónia ou Estónia para os homens, onde o período de anos na reforma se situa entre os 14 e os 15 anos.

Em geral, segundo os dados da OCDE, os homens tendem a reformar-se mais tarde do que as mulheres, exceto em alguns países como a Espanha, Turquia ou Irlanda.

Número de anos na reforma (A.R.)
  Idade de reforma A.R. Homens A.R. Mulheres
Itália 59 22,7 27,3
Grécia 57 23,6 26,9
França 60,5 21,8 26,5
Reino Unido 60 16,9 24,5
Japão 65 18,8 24,1
Media OCDE 63,1//61,7* 18,3 23,3
Espanha 65 17,9 21,8
Alemanha 65 17 20,7
Portugal 65 16,3 20,2
Estados Unidos 66 17,1 20,2

Fonte: Society at a glance 2011: OECD Social Indicators 

*idade de reforma oficial para homens e mulheres, respetivamente, na média dos países da OCDE.

Se gostou deste artigo, receba mais informação através da nossa newsletter

Quero subscrever a newsletter

Deixe o seu comentário

Utilize o formulário abaixo para nos dar a sua opinião. O endereço de e-mail é necessário para entrar em contacto consigo.

Condições de subscrição do serviço do Boletim/Newsletter

Os dados de natureza pessoal (Nome/e-mail) solicitados, serão tratados em conformidade com a Lei de Proteção de Dados Pessoais e utilizados exclusivamente com a finalidade de subscrição do serviço do Boletim/Newsletter, através do qual o utilizador autoriza o envio de notícias e novidades de interesse sobre as matérias cobertas pelo website.

Os referidos dados pessoais serão incorporados num ficheiro da responsabilidade do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., que garantirá a sua correta utilização e a sua confidencialidade e salvaguarda, nos termos previstos na Lei n.º 67/98, de 26 de Outubro (Lei de Proteção de Dados).

Política de protecção de dados

Em cumprimento do disposto na Lei n.º 67/98, de 26 de Outubro (Lei de Protecção de Dados Pessoais), que estabelece o direito de informação dos titulares dos dados pessoais, informamos que os dados pessoais fornecidos serão incorporados num ficheiro informático, sob responsabilidade do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., que garantirá a sua confidencialidade e segurança, com a finalidade exclusiva de subscrições da newsletter “A minha pensão”, através do website http://www.aminhapensao.pt

Poderá alterar ou suprimir o seu consentimento a qualquer momento, sem efeitos retroactivos, mediante comunicação por escrito para a direcção de correio electrónico que figura no final da presente nota.

Poderá exercer o seu direito de acesso, rectificação, cancelamento ou oposição ao tratamento dos seus dados pessoais nos termos estabelecidos na lei, através de contacto escrito com o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S. A., enquanto responsável pelo tratamento, através do endereço Av. Liberdade 222, 1250-148 Lisboa ou ainda usando o endereço de correio electrónico aminhapensao.pt@bbva.com.

Comentários

Carregando...

Ainda não há comentários